quinta-feira, 1 de março de 2012

A ESPIRITUALIDADE DO DINHEIRO



LEGENDA: Dia em que fui presenteado pelas minhas alunas :)

Ontem, durante uma aula do Módulo 1 em Copacabana, eu falava da espiritualidade do dinheiro e do quanto é importante saber utilizar os recursos materiais que D´us nos concede da melhor maneira possível. Isto, porque vejo muita gente falando sobre as questões financeiras e muitas doutrinas espirituais falando sobre o papel "corruptor que o dinheiro tem".

Nos nossos estudos, costumamos apresentar o dinheiro como um intensificador, já que seu papel de herói ou vilão, vai depender única e exclusivamente da utilidade que damos a ele. Explico: se uma pessoa é acostumada a fazer Tzedaká com o que tem, com o melhoramento de suas condições financeiras, a tendência é que ajude mais, enquanto que o egoísta, com mais dinheiro, se tornará ainda mais egoísta.

O dinheiro nos serve para nossas necessidades materiais, mas erra quem acredita que a sua esfera de atuação somente esta. Como dizia o Rabi Salanter, "o pão que compro para a minha casa, é minha necessidade material, porém, o pão que compro para o meu vizinho em dificuldades é de necessidade espiritual". ISTO É ALGO BEM PROFUNDO.

Falamos de duas coisas iguais, ou seja comprar pão para si e comprar pão para o vizinho. No final das contas, o elemento é o mesmo e o somatório dispendido é o mesmo, poderíamos encerrar a questão por aqui, se não fosse por um detalhe; a intenção. A intenção é o que traz a espiritualidade do dinheiro, pois o fato de ajudar o próximo, faz com que eu santifique uma coisa, que aparentemente era "insantificável".

O que há de bonito nisto, é que nos acostumamos a transformar o material em imaterial, realizando uma alquimia particular, onde espiritualizamos coisas tangíveis. Quando você começa a fazer isto com objetos, acostuma-se inconscientemente a fazer com  você também. Então seus recursos naturais, vão cada vez mais distanciando-se unicamente do "eu", para trabalhar pelo "nós".

Assim, tornamo-nos cada vez mais próximos de realizar Kidush Hashem.

Fraternalmente,

Rafael Chiconeli



® todos os direitos reservados

7 comentários:

  1. Mestre, estou aprendendo a importância de fazer Tzedaká, não só com coisas materiais mas tb com doação de amor e dedicação. Quando começamos a fazer isso, nos sentimentos tão felizes, que as coisas materiais que passamos a vida inteira correndo atrás, perdem todo significado e nosso coração se torna tão imenso, que queremos ajudar mais e mais pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Excelente!!! Em poucas palavras, claras, desmistifica um assunto que vem se tornando um tanto complexo. "Intensificador" e "alquimia particular" são conceitos chaves. Tanti grazie.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pedro, seja bem-vindo sempre!

    ResponderExcluir
  4. caro Rafel , parabens por seu trabalho, gostei de seu texto e entendi seu pinto de vista,porem gostaria de acrescentar uma perspectiva utopica a ele, o dinheiro por principio nao pode ser bom, pois seu ponto de partida ja è distorcido em essencia, isto é, ele sai do principio que pessoas valem mais por sua produtividade ou inteligencia, que merecem ganhar mais, porque sao organizadas ou responsaveis ou mais capazes, este ponto de vista é a distorçao , o dinheiro é permite enromes desvios socias, nao sei se vc sabe mas apenas 147 fundos de investimentos possuem juntos as 5000 maiores empresas do mundo e especula-se que atras destes fundos existem apenas 13 familias apenas, o que significa que possuem 40 % de todo capital citculante do mundo, so por este dado é possivel ver que o dinheiro nao tem nenhuma espiritualidade em sua essencia e nem nuca tera, nunca teremos um mundo bom enquanto este conceito equivocado existir

    ResponderExcluir
  5. Aloha Rafael...

    Antes de mais, obrigada pelo seu artigo, muito bom em formato e conteudo (como convem)...muitos, tal como eu, precisaram aprender esta diferença e "desmontar" esta falsa questão do dinheiro, analisar a questão à luz da LUZ (passo a redendancia), como devemos fazer em relação a tudo, afinal como o grande Mestre "a espiritualidade é um eterno convite ao discernimento" (Jesus Cristo)... parecendo uma questão simples, na realidade se analisamos á Luz da mente inconsciente, pode tornar-se complexa ou até mesmo complicada, principlamente quando verificamos que o que o Monge Daiko disse corresponde efectivamente á verdade, ou melhor, a parte dela, pois é ainda mais profunda e "terrivel" do que ele aqui descreveu...os fundos, as 13 familias, o vaticano, os bancos (suiços ou nao) laboratorios farmaceuticos, Iluminatti, NASA, CIA, etc., são só a ponta do Iceberg que está visivel, sim estamos a falar da lendaria Cosnpiração...em verdade se vestirmos um fato de mergulho e resolvermos explorar o resto do Iceberg, vamos encontrar o projecto de escravatura da humanidade e do Planeta, esta situação dura desde os primordios da vida na Terra (estou a falar da verdadeira historia e não da que aprendemos e ensinamos na escola às crianças),encontramos "causas e coisas" não Humanas...hoje encontramos varias raças (3) de extra-terrestres que uniram os seus "interesses", aqui convergem e aqui actuam. Cada uma tem o seu objectivo neste lindo planeta azul e nem todos são de origem "economica", ou seja, nem todas são movidas pelo exploração dos nossos recursos naturais, mas uma delas sim (anunnaki)a primeira a chegar, curiosamente sim, tudo começou ainda antes do surgimento do que hoje chamamos humanidade (episodio gentecico Adao & Eva ou Homo Sapiens), começando com a descoberta de uma recuro natural, existente nos oceanos da Terra, que dá pelo nome de ouro monoatomico e que a maioria dos Terraqueos, mesmo na actualidade, nunca ouviu falar, apesar da disponibilidade da informação, as pessoas reagem com "alergia" à verdade, que na realidade vai muito além de qualquer filme de ficção cientifica (se é que isso existe). A Humanidade faz, ainda hoje, aquilo que se chama em psicologia de transferencia Freudiana, mas mal-transferida, culpa a "coisa" dinheiro para não olhar para a "causa" que não só faz mover como alimenta esta "maquina" tão negativa...Culpamos o dinheiro, que na sua genese nao passa duma energia de troca, para nao termos de olhar de frente para quem esta por tras, a forma e proposito como esta é usada, sendo que isso permite ao "dark side" continuar a operar de acordo com a sua maquiavelica agenda, ficamos aqui a culpar o dinheiro por todos os males do mundo e a sobrecarregar o nosso sub-consciente com esta informação, acabando por criar bloqueios ao nivel da mente inconsciente. Se nao dermos um basta na "causa" de nada adianta mudar de "coisa" ...Amigos, vamos em frente, temos inimigos "invisiveis" ou melhor, metafisicos, mas tambem temos aliados com a mesma natureza metafisica, só federações intergalaticas a cooperar no resgate da Terra, na actualidade, são 20, isto para não falar das hierarquias Espirituais (que não deixam de ser metaficas tambem)...por isso, IRMAOS, está na nossa mão alterar esta realidade, como?..."Só a Verdade vos Libertará" (Jesus Cristo).... "Nem tudo o que pode ser enfrentado pode ser alterdo, mas tudo o que pode ser alterdado tem de ser enfrentado" e "Para que o mal vença, basta que o bem nada faça" ambas Albert Einstein.

    Namasté e OmShanti
    Ana

    ResponderExcluir